Urandir – Urandir lidera a 9ª Expedição Equipe Zigurats e Projeto Portal – Egito 2015

Contagem regressiva para a 9 Expedição ao EgitoUrandir 2012 Esfinge-Urandir-Pesquisador

Liderados por Urandir Fernandes de Oliveira, fundador e presidente da Associação Projeto Portal, a Equipe Zigurats e pesquisadores do Projeto Portal, visitarão o Egito  na 9ª Expedição.

Pela primeira vez a equipe de pesquisa visitará a terra dos faraós e participarão dessa mega expedição pelo menos 230 pesquisadores.

É com enorme expectativa que todos do grupo esperam por essa grande e inesquecível  viagem, pois o Egito faz parte do imaginário de todos que dedicam suas vidas estudando antigas civilizações, suas tecnologias e o legado que deixaram ás próximas gerações e, sem dúvidas, o Egito é o maior exemplo de legado, tecnologia e mistérios que temos atualmente, e mesmo tão pesquisado, ainda guarda muitos segredos debaixo de suas areias.

Serão 10 dias percorrendo os sítios mais importantes do Egito, conhecendo suas pirâmides, seus templos, seus reis e seus mistérios.

Urandir 2012 - 9-Expedição-Projeto-Portal-Egito-2015-Pesquisador-Urandir

Urandir – Urandir lidera a 9ª Expedição Equipe Zigurats e Projeto Portal – Egito 2015
artigo original postado em Urandir lidera a 9ª Expedição Equipe Zigurats e Projeto Portal – Egito 2015


Urandir – Natureza em Alerta conforme afirma Urandir e Pesquisadores do Projeto Portal e do MIT

Segundo uma pesquisa recente realizada por pesquisadores do MIT (Massachusetts Institut of Technology) e pela Universidade Americana de Princeton, encontraram evidências desanimadoras. De acordo com essa pesquisa, tempestades de alta força e grandes inundações e alagamentos ocorrerão  em intervalos de tempo bem menores do que um século, conforme antes acreditavam os cientistas.

Este fato tem sido alertado pelos parceiros do Projeto Portal há mais de uma década, por intermédio do presidente da Associação Projeto Portal, Urandir Fernandes de Oliveira e também pelos milhares de contatados que participam da associação. Eles informam que este é um evento cíclico e que  já ocorrereu na Terra em outras épocas, de acordo com o que são registrados nos livros de história, geografia, e também nos de ciência. Os pesquisadores do Projeto Portal lançam nota para acalmar a população, avisando que não se refere ao fim do mundo ou fim dos tempos como é alardado em muitas seitas e profecias, mas sim representa o crescimento de eventos climáticos como vendavais, terremotos, atividades vulcânicas e explosões solares que nos afetarão em todos lugares da terra. No momento, as equipes de cientistas americanas vem corroborar essas informações de probabilidade do aumento dessas ocorrências climáticas catastróficas que,  de acordo com os estudiosos do Projeto Portal,   se intensificarão a partir de 2012, chegando ao apogeu em 2014, se prolongando até 2018, quando então irão se diminuir.

Fica então a sugestão  para que as todos preparem-se, estocando alimentos e suprimentos básicos como água e medicamentos.

 

Urandir – Natureza em Alerta conforme afirma Urandir e Pesquisadores do Projeto Portal e do MIT
artigo original postado em Natureza em Alerta conforme afirma Urandir e Pesquisadores do Projeto Portal e do MIT


Urandir – Urandir em atividade na Associação Cultural Sedona – Zaragoza Espanha

Urandir Fernandes de Oliveira, presidente da Associação Projeto Portal comandou no dia 23 de abril de 2012 uma dinâmica de grupo na Espanha na cidade de Zaragoza. A atividade foi realizada na Associação Cultural Sedona.

Urandir foi convidado para diversas palestras e dinâmicas em diferentes localidades da Espanha, realizando também algumas  entrevistas nos meios de comunicação.

 

A Associação Cultural de Sedona é uma entidade sem fins lucrativos voltada para a evolução humana.  “La Asociacion Cultural Sedona se crea para ofrecer un espacio donde las personas avancen en su desarrollo de Seres Humanos, en su acercamiento a la Unidad. Una expresión de Libertad y ejercicio de ella que nos lleva a la experiencia del AMOR”

Urandir está com um grupo de pesquisadores além dos acessores de imprensa, que documentam todas  as atividades de Urandir realizadas na Espanha.

Urandir – Urandir em atividade na Associação Cultural Sedona – Zaragoza Espanha
artigo original postado em Urandir em atividade na Associação Cultural Sedona – Zaragoza Espanha


Urandir – Urandir concede entrevista para Miguel Blanco da RTVE na Radio Nacional da Espanha

Urandir foi o convidado especialno dia 20 de abril de 2012 para uma entrevista no programa Espacio em Blanco na Radio Nacional da Espanha, emissora da maior rede de rádio e TV da Espanha, a RTVE que também é assistida no mundo todo,  inclusive no Brasil através das TVs a cabo.
Todas as sextas-feiras das 02h00 as 04h00,  o programa vai ao ar, transmitido ao vivo direto de Madri e é apresentado por uma lenda viva no mundo dos mistérios: Miguel Blanco. O programa tem o nome de  “Espaço em Branco” , sendo o maior programa de mistérios da rádio espanhola.  Nos últimos 17 anos transmitiu temas únicos, abrindo portas para fatos desconhecidos.
Em 1989,  o programa documentou um marco histórico:   um alerta OVNI no Parque Nacional de Las Cañadas de Telde, em Tenerife, sendo um encontro que na época reuniu mais de 40 mil pessoas.
Miguel Blanco entrevistou especialistas como Raymundo Moody,  Marilyn Roosner e Daniel Brinkley, entre vários outros.
Miguel Blanco é apresentador e diretor do programa Espacio en Blanco e já visitou mais de 140 países ao redor do planeta, sempre em busca de enigmas e mistérios de outros mundos.

 

Urandir – Urandir concede entrevista para Miguel Blanco da RTVE na Radio Nacional da Espanha
artigo original postado em Urandir concede entrevista para Miguel Blanco da RTVE na Radio Nacional da Espanha


Urandir – Alerta Preocupante: mudança global prejudicará o ser humano

Mais uma vez a ciência confirma o que o Projeto Portal, através do pesquisador Urandir Fernandes de Oliveira e seus parceiros de mundos estelares vêm afirmando há mais de dez anos. A informação divulgada neste sábado (20/03/2010) pelo G1 e também publicada no site www.ufologiabr.com.br diz que as mudanças climáticas terão efeitos indiscutíveis na saúde, como o aumento das alergias e doenças transmitidas por mosquitos, e o aumento de problemas intestinais ligados à falta de água, conforme advertiram em Paris especialistas em clima e saúde.

“Em 2050, um em cada dois verões (hemisfério norte) se assemelhará à onda de calor de 2003″, que na França causou a morte de milhares de pessoas, indicou o diretor da Agência Sanitária do Meio Ambiente e do Trabalho (AFSSET), Dominique Gombert. Para o Projeto Portal estas questões já se mostram mesmo em 2010, devendo aumentar a partir de 2011, portanto, uma data muito próxima.

Para os pesquisadores do Projeto Portal, no Brasil e em vários países doenças como a provocada pelo vírus H1N1, mortes repentinas de pessoas até jovens por ataques cardíacos, aumento da incidência de câncer, doenças de pele, malária, dengue, etc. já causam problemas e preocupações para profissionais da área da saúde e até para a área governamental.
No entender de Dominique Gombert, já é possível prever que o aumento das temperaturas durante o verão provocará um forte avanço da mortalidade entre as pessoas mais velhas, ou frágeis. Além disso, as ondas de frio serão mais intensas, inclusive mais mortíferas, acrescentou o diretor. Os pesquisadores do Projeto Portal acreditam que o frio será muito intenso em determinadas regiões do planeta.
Alguns poluentes – como as partículas finas -, também aumentarão, devido ao aquecimento global, acrescentou. “Serão mais precoces e permanecerão por mais tempo”, explicou Gombert. Os pesquisadores do Projeto Portal alertam que no ar existem uma infinidades de partículas prejudiciaisà saúde humana, sendo que boa parte delas lançadas na atmosfera pelo próprio homem, mas também existem as partículas cósmicas que são prejudiciais à raça humana.
“Esta poluição terá os mesmos efeitos dos picos de poluição atuais, que geram um aumento das doenças respiratórias (bronquite, asma) e problemas cardiovasculares, assim como uma sensibilidade maior às infecções causadas por micróbios”, advertiu.
O aquecimento global provocará uma redistribuição da vegetação no território: por exemplo, a oliveira tentará subir para o norte. O mesmo já ocorre com diversas espécies de animais, que já estão migrando para outras regiões diferentes de seus habitas naturais, além daquelas aves migratórias que perdem o foco de seu destino devido às alterações do campo eletromagnético da Terra, informam os pesquisadores do Projeto Portal.
Além disso, acrescentou, as árvores com pólen se estenderão, e por isso os períodos com muito pólen vão aumentar, o que provocará mais casos de alergias, indicou.
São previstos também outros problemas de saúde, como cânceres de pele, devido à intensificação dos raios solares, e o aumento das doenças como a febre tifoide ou a cólera, porque a água será mais escassa e mais contaminada, alertou.
O especialista ressaltou que, embora as ameaças dos efeitos do aquecimento planeta pareçam claras, as medidas para proteger a saúde das pessoas são menos evidentes.
Para reduzir os fatores de risco, será preciso desenvolver a cultura da “adaptação”, mas essa meta se depara com dificuldades, como a falta de interesse dos médicos, afirmou outro especialista.
“O aquecimento global é um tema que interessa aos meios de comunicação, mas menos aos médicos”, lamentou William Dab, professor da cátedra de Higiene e Segurança no Conservatório Nacional das Artes de Paris. Também os governos não conseguem se entender quando se trata deste assunto, alertam os pesquisadores do Projeto Portal.
Segundo ele, as mudanças climáticas não são “um risco a mais”, entre outros, e sim “uma mudança de escala do risco”, dada a quantidade de pessoas expostas. Já os pesquisadores do Projeto Portal alertam que ocorrerá inclusive alteração na geografia terrestre, fato este que acontece de forma cíclica na Terra, mas ou menos a cada 5 mil anos.
O Observatório Nacional sobre os Efeitos do Aquecimento Global (Onerc) sugere algumas maneiras de combater esses efeitos das mudanças climáticas na saúde, entre elas umas supervisão maior dos agentes infecciosos e da qualidade da água e do ar. (Fonte: G1, Ambiente Brasil e Projeto Portal)

Urandir – Alerta Preocupante: mudança global prejudicará o ser humano
artigo original postado em Alerta Preocupante: mudança global prejudicará o ser humano


Urandir – Urandir lidera expedição Zigurats – Percorrendo os caminhos de Joana D’arc

Urandir Fernandes de Oliveira realizou uma expedição com outros pesquisadores do Projeto Portal em algumas localidades da França. O objetivo da expedição foi levantar informações sobre a famosa Joana D´arc.

Para isso, o grupo percorreu boa parte da França, visitando desde Domrémy-la-Pucelle, o local de nascimento de Joana em 06 de janeiro de 1412, até a cidade de Rouem, local onde supostamente ela foi queimada viva em 30 de maio de 1431 com apenas 19 anos de idade.

Descendente de camponeses modestos, foi uma mártir francesa canonizada pela Igreja Católica em 1920, quase cinco séculos após sua suposta morte. A pesquisa teve um cunho especial para a Equipe do Projeto Portal, pois foram encontrados indícios indiscutíveis que Joana D´arc conversava com “Anjos de Deus”, que na realidade seriam seres extraterrestres os quais passavam informações importantes. Por conta desses contatos foi perseguida pela Igreja e considerada por muitos séculos uma bruxa herege. Estranhamente após séculos de difamação a própria igreja que a perseguiu, acabou por canoniza-la como uma mártir e santa.

Interessante é compararmos o que ocorreu na época com a perseguição que acontece com quem tem contatos com extraterrestres nos dias atuais. Exemplo simples disso resume-se na figura de Bilu, um ser de origem extraterrestre que já conversou com mais de mil pessoas e mesmo assim a mídia em peso difama e desacredita sua existência.

Urandir – Urandir lidera expedição Zigurats – Percorrendo os caminhos de Joana D’arc
artigo original postado em Urandir lidera expedição Zigurats – Percorrendo os caminhos de Joana D’arc


Urandir – Continuam os testes para comprovar a Teoria da Terra Convexa

Os testes para verificar a teoria da Terra Convexa em seus continentes com as águas niveladas ou planas, conforme sugerido pelo ET Bilu, tiveram mais uma etapa realizada no exterior. No período de 20 a 22 de novembro equipe de pesquisadores do Projeto Portal,em parceria com outros cientistas, esteve no Lago Titicaca, na fronteira entre o Peru e a Bolívia, para realizar alguns experimentos.
Os dados obtidos estão em fase de  análise e compilação, podendo ser complementados com novos testes, conforme a necessidade.
Após o processamento das informações, o Projeto Portal irá lançar documentário cujo teor poderá revolucionar algumas teorias científicas.

O Projeto Portal sabe que há grande curiosidade e muitas perguntas e quesionamentos sobre a Teoria da Terra Concexa, mas mesmo assim salienta que é preciso ter paciência até que todos os dados coletados sejam compilados. Como se trata de uma teoria nova, é preciso esgotar todas as possibilidades até se chegar a uma conclusão concreta que venha satisfazer e facilitar o entendimento para todas as pessoas, desde leigos até a comunidade científica.

Urandir – Continuam os testes para comprovar a Teoria da Terra Convexa
artigo original postado em Continuam os testes para comprovar a Teoria da Terra Convexa


Urandir – Pesquisadores da Associação Projeto Portal desvendam mistérios de antigos reinos na América Latina

Foram mais de dez anos de pesquisas em diferentes sítios arqueológicos ao longo dos mais de sete mil km percorridos em território brasileiro e em países da América do Sul, dos quais 3.277 km da região dos sete Povos das Missões no Rio Grande do Sul até o Forte Príncipe da Beira, em Rondônia e deste local mais 3.729 km até o Forte Macapá no delta do rio Amazonas, além de localidades na Bolívia e Peru, Uruguai, Paraguai, França, Alemanha e Espanha idealizadas e lideradas através do presidente da Associação Projeto Portal, Urandir Fernandes de Oliveira, reunindo cerca de cem pesquisadores do Projeto Portal em as suas várias fases.

A grande descoberta diz respeito à presença de diversos reinos em regiões distantes, embora com muita semelhança detalhes em desenhos em predras encontradas em São Miguel das Missõesentre si em termos de arquitetura, cultura e conhecimento existentes em épocas anteriores a 30 mil anos. Esses reinos têm em comum construções incríveis que pelas pesquisas efetuadas não poderiam ter sido construídos pelo homem na época, já que até mesmo nos dias atuais não há tecnologia que permita edificações semelhantes.

Um dos grandes destaques desses reinos localiza-se no Brasil, com a descoberta de uma cidade perdida  em plena selva amazônica, além de identificar semelhanças entre os vários sítios percorridos nas diversos regiões do pais do Sul ao Norte, quando foram encontradas  marcas e símbolos idênticos nestes  locais.

conforme Urandir, a descoberta tem a relevância superior aos grandes monumentos históricos como as pirâmides no Egito, a civilização chinesa, as ruínas da civilização maia no México e dos incas no Peru e Bolívia, incluindo-se  Machu Pichu. O grupo prepara um relatório para ser compartilhado com o IPHAN – Instituto Histórico do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional que certamente irá agregar mais saber para a nossa pesquisa, uma vez que a mesma é somente observacional e interpretativa. Os pesquisadores do Projeto Portal estão cientes que não se pode fazer escavações, apossar-se de objetos ou interferir de qualquer maneira no meio pesquisado e tudo foi feito segundo as legislações nacional e locais.

A cidade perdida na Amazônia tem prédios, estradas, templos, entre outros monumentos  que comprovam a passagem através do Brasil de culturas desconhecidas, porém com grande saber arquitetônico, matemático, astronômico, superior aqueles construtores de culturas pré-colombianas, egípcias, maias,incas e outras. conforme os estudos, a cidade deveria possuir cerca de 13 mil moradores.Detalhes exteriores do Forte Principe da Beira em Costa Marques - divisa da bolívia pesquisa realizada com o apoio do exército brasileiro indica que originalmente não era um forte mas sim um templo

Urandir esclarece que em todo o trajeto investigado  em diferentes regiões brasileiras e em países da América do Sul há símbolos idênticos deixado por essas culturas que nos remete a velhas culturas como a lemuriana,  atlantida e outras. Tudo indica, segundo Urandir, que  essas pessoas há mais de 30 mil anos deixaram um legado em terras brasileiras como que sinalizando sua passagem por esses locais, provavelmente com o objetivo de serem identificadas e localizadas no futuro.

Pesquisas

Tudo começou em 15 de março de 2004 com a primeira Expedição Brasil-Equipe Zigurats a Amazônia visando estudar provas  no sentido de que o Brasil é o berço da formação antropológica e arqueológica mundial e encontrar a verdadeira origem do homem, apresentando novas datas e períodos, preenchendo as lacunas nas teorias já existentes.

A segunda expedição à localidade amazônica aconteceu a partir de 4 de julho de 2005, quando foram observados diversos objetos, pinturas e inscrições rupestres, artefatos e símbolos desconhecidos dos já estudados pela literatura mundial, além de ruínas deixadas para trás que, segundo a engenharia e arquitetura, expõe que tal cultura tinha uma tecnologia bastante superior a atual mesmo há mais de 30 mil anos.

7  Povos das Missões

A grande prova obtida através do Projeto Portal sobre a passagem das mesmas civilizações através do território brasileiro ocorreu no período de expedição ao Rio Grande do Sul, em 2007,  Ruínas em São Miguel das Missões escondem evidências de antigas civilizações globais com reinos unificadosna localidade das ruínas jesuíticas de São Miguel das Missões, consideradas patrimônio da raça humana desde 1983, em conjunto com as ruínas no lado argentino de San Ignacio Miní, Santa Ana, Nossa Senhora de Loreto e Santa María Mayor.

Foi na pesquisa feita no município gaúcho de Santo Ângelo, distante 462 km de Porto Alegre, que Urandir e os pesquisadores do Projeto Portal localizaram as provas que unem as edificações amazônicas com as ruínas gaúchas dos sete Povos das Missões.  À semelhança do que ocorreu em diferentes pontos do legado inca no Peru e Bolívia e também na Europa, onde a Igreja Católica aproveitou antigas edificações deixadas por diferentes civilizações edificando sobre elas as suas Igrejas e prédios, também no sítio arqueológico dos 7 Povos das Missões registrou-se a mesma situação.

Apesar disso, foram localizados símbolos que também são encontrados em diversos outros sítios arqueológicos brasileiros pesquisados em  Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Amazonas, Pará até o delta do rio Amazonas.
Descobriu-se  ali que existem túneis atravessando vários pontos onde a prefeitura de Santo Ângelo, à pedido do clero, lacrou a entrada destes túneis, colocando uma laje em cima, além de terra e blocos, segundo os historiados  e os guias turísticos locais. Foram encontradas 5 tumbas de pessoas de sociedades bastante antigas, muito anterior à vinda dos espanhóis e portugueses no Brasil.

As pedras lá encontradas, trabalhadas por esta civilização, são rochas maciças que até hoje precisaríamos de aparelhos específicos para modelá-las.  Fica a pergunta: como os jesuítas poderiam ter ensinado isso aos índios, se até hoje não temos aparelhos capazes de cortar e modelar as rochas da forma como estão.  Essas rochas podem ser comparadas aos Maias e Incas, pois se trata da mesma engenharia.  Como exemplo, temos a Cruz de Caravaca, mais reconhecida na localidade como a Cruz Missioneira, e as colunas que foram construídas em pedra maciça.

Forte Príncipe da Beira

Todas essas construções são semelhantes, principalmente em sua arquitetura. O Forte Príncipe da Beira, em Rondônia é um exemplo. Ali foram encontradas diversas das inscrições e símbolos situados nas ruínas de São Miguel das Missões. O mais assombroso, contudo, é a similaridade com o Forte Macapá, no delta do Rio Amazonas e com diferentes fortalezas espalhadas através do planeta, até mesmo na região cátara do Languedoc, na França.Pesquisa no Forte Principe da Beira em Costa Marques - divisa da bolívia com o apoio do exército brasileiro indica que originalmente não era um forte mas sim um templo

De todas as fortificações encontradas no Brasil e em outros países, segundo a história, foram erguidos por português, espanhóis e outros… O Forte Príncipe da Beira é considerado o de localização e edificação perfeitos, ainda que hoje restem apenas ruínas. Ele protegia toda a margem direita dos rios Guaporé e Mamoré, na fronteira com a Bolívia. Foi deixado para trás em 1889, já na República, e permaneceu em absoluto abandono cerca de 40 anos, sendo saqueado e invadido. Em 1914 foi reencontrado através do então Marechal Rondon, que voltou em 1930 e construiu as instalações da unidade militar que acantonou ao lado das ruínas.

No Forte Príncipe da Beira os pesquisadores do Projeto Portal, com autorização do Exército brasileiro, descobriram salas subterrâneas que continham vários poços com profundidades variadas. Em determinadas profundidades saíam túneis em diversas direções, como por exemplo, a Serra dos Reis (RO), cidade de Costa Marques (RO) e o mais intrigante, a uma profundidade maior, um túnel que passa por baixo do rio Madeira atravessando a divisa Brasil-Bolívia, saindo a aproximadamente  700 metros da margem no lado  boliviano perto a outras ruínas que são encontrados lá. (vai ser que os portugueses teriam tecnologia para tal?)

Segundo as novas descobertas da equipe  do Projeto Portal constatou-se que nem portugueses nem holandeses nem nenhuma pessoa da civilização contemporânea tinham construído tais fortalezas:

Primeiro porque não tinham tecnologia para isso,  Segundo: não era encontrado mão de obra suficiente e a relação dos colonizadores com os indígenas nem sempre eram amistosas. Terceiro: não tiveram tempo hábil desde a descoberta do Brasil até hoje para construções tão perfeitas e distantes entre si.  Quarto: as doenças tropicais dizimavam rapidamente os soldados e aventureiros que se embrenhavam na mata.  Quinto: os alimentos durante as expedições se esgotavam e muitos morriam de fome.  Sexto: o meio de transporte era apenas barco rudimentar ou cavalos, o que não atenderia as necessidades de construções desse porte.  Sétimo: as comunicações eram precárias e não seria possível o compartilhamento de ideias e projetos em construções semelhantes em pontos distantes do Brasil e do mundo. Todas sendo construídas na mesma época, segundo a investigação do Projeto Portal. Mais um dado intrigante: todas elas foram construídas com a mesmo tipo de pedra, não importando e distância e o local das mesmas.

Foi no Forte Príncipe da Beira que a equipe descobriu indicações precisas que apontavam para uma região no coração da Amazônia. prosseguindo tais indicações, dois anos depois, os pesquisadores se depararam com o sonho de todo arqueólogo:  a região perdida enfim encontrada. ..

Seria o tão cobiçado  Eldorado por todos os aventureiros do planeta?  Seria uma cidade bíblica que sobreviveu ao dilúvio?  Ou serão apenas ruínas de culturas antigas que ali estiveram antes do surgimento da floresta amazônica?  Continuamos a Buscar conhecimento!

#gallery-1
margin: auto;

#gallery-1 .gallery-item
float: left;
margin-top: 10px;
text-align: center;
width: 33%;

#gallery-1 img
border: 2px solid #cfcfcf;

#gallery-1 .gallery-caption
margin-left: 0;

Urandir – Pesquisadores da Associação Projeto Portal desvendam mistérios de antigos reinos na América Latina
artigo original postado em Pesquisadores da Associação Projeto Portal desvendam mistérios de antigos reinos na América Latina


Urandir – Urandir – Farsa do Aquecimento global desmascarado – alerta do Projeto Portal e Bilu

Urandir Farsa do Aquecimento Global desmascarada

Conforme vem alertando nos últimos anos Urandir e demais pesquisadores do Projeto Portal, o famoso aquecimento global não passa de uma grande farsa. Muitos pesquisadores e cientistas ao redor do mundo também tem tentado explicar que o aquecimento global não existe.  Porém existe um poder político e econômico que se sobrepõe e não permite que a verdade seja divulgada.
Efeito estufa, buracos na camada de ozonio, alerta sobre derretimento de geleiras em função de aquecimento… são conceitos que aparecem diariamente nos veículos de comunicação nas últimas décadas tentando mostrar uma realidade que não existe.

No Brasil o Dr em climatologia Ricardo Augusto Felício do departamento de geografia da Universidade de São Paulo, especialista em clima afirma que o aquecimento global é baseado em conceitos físicos que não existem, nao sendo possível avidenciar sua existência. E são centenas de cientistas e pésquisadores ao redor do mundo que contestam a farsa que o “outro lado” da ciência e ambientalistas afirmam.

Urandir e o grupo de pesquisadores do Projeto Portal e Centro de Tecnologia Zigurats vêm estudando nos últimos anos os motivos dessa farsa. Em verdade ela é mantida por indústrias, pela mídia e pelos governos, adicionando-se a uma sociedade sem conhecimento no assunto. Isso tudo soma-se para aumentar o medo no assunto.

Outro absurdo sobre o Aquecimento global é que o gás CO2 seria o responsável ou causador do efeito estufa e as alterações climáticas, sendo que seu percentual na atmosfera equivale a no máximo 0,035%. Urandir afirma o que já foi comprovado pelos climatologistas, que quem controla o clima da terra é basicamente o sol e os oceanos que correspondem a 75% do planeta. O clima está apresentando mudanças nos últimos anos, sendo estas previsíveis e cíclicas, e é exatamente nesses últimos anos que o sol está com o seu ápice de atividade, com gigantescas ejeções de massa coronal.

Vamos observar e ver onde essa história vai acabar,  pois é difícil manter a população com uma inverdade por muito tempo

#gallery-1
margin: auto;

#gallery-1 .gallery-item
float: left;
margin-top: 10px;
text-align: center;
width: 25%;

#gallery-1 img
border: 2px solid #cfcfcf;

#gallery-1 .gallery-caption
margin-left: 0;

 

Urandir – Urandir – Farsa do Aquecimento global desmascarado – alerta do Projeto Portal e Bilu
artigo original postado em Urandir – Farsa do Aquecimento global desmascarado – alerta do Projeto Portal e Bilu


Urandir – Diário de Bordo dia 2: Urandir na segunda Expedição França da Equipe Zigurats

No segundo dia da 2ª Expedição da Equipe Zigurats França, Urandir Oliveira junto com o grupo de pesquisadores  partiram de manhã cedo com destino o Chateau Baux de Provence, que fica a 70km de Aix en Provence, lugar onde o  grupo está hospedado.

O Castelo des Baux de Provence foi construído no século 10, na era medievel. Foi planejado  como uma grande fortaleza que servia para proteger o pequeno vilarejo de Provence. Por quinhentos anos foi  governado pelos Senhores de Baux, em meio a insistentes conflitos que culminram com a devastação do vilarejo de  Provence. De arquitetura rústica e simples, foi construído em uma montanha rochosa e seu castelo esculpido nas  rochas de calcáreo, fáceis de lapidar e cortar.

Durante o século 15, os barões da Masons des Comtes de Provence substituiram os senhores de Baux, sendo essa  considerada uma era do ouro para o Castelo, antes controlado pelos reis Franceses.

Durante o século XVI, tiveram início muitos conflitos e guerras religiosas, o que levou em 1633 à  destruição da  fortaleza por ordem de Luís XIII.

No Castelo dos Baux se encontram cópias em escala real de grandes máquinas bélicas da época. Nas ruínas do Castelo  se encontra uma grande catapulta e os visitantes podem presenciar uma demonstração real de disparo e de seu uso,  que pode arremessar projéteis pesando até 100 quilos e por até 180 metros de distância.

Urandir e a equipe de pesquisadores retornaram para Aix en Provence no final da tarde, e o grupo assistiu uma  palestra muito especial com Roberto Howells, reconhecido escritor e pesquisador, autor do livro Por  dentro do  Priorado  de Sião.

Howells é especialista em mistérios e assuntos que circundam  a história de Jesus Cristo e de  Maria Madalena, e o suposto matrimônio de ambos, incluindo a possibilidade de terem gerado descendentes.
Howells pesquisou com bastante afinco a localidade de Rennes le Chateau ao sul da França, localidade que se  acreditam serem encontradas evidências da passagem dessas figuras lendárias e sua linhagem.

Galeria das fotos de Urandir no segundo dia da expedição Zigurats França

#gallery-1
margin: auto;

#gallery-1 .gallery-item
float: left;
margin-top: 10px;
text-align: center;
width: 25%;

#gallery-1 img
border: 2px solid #cfcfcf;

#gallery-1 .gallery-caption
margin-left: 0;

Urandir – Diário de Bordo dia 2: Urandir na segunda Expedição França da Equipe Zigurats
artigo original postado em Diário de Bordo dia 2: Urandir na segunda Expedição França da Equipe Zigurats