Urandir – Exposição a produtos químicos ameaça reprodução humana

É de longa data que Urandir Fernandes de Oliveira e demais pesquisadores da Associação Projeto Portal alertam sobre a contaminação de produtos tóxicos nos alimentos e até mesmo no ar que respiramos. Agora os pesquisadores estão ficando preocupados com as possíveis implicações disso na saúde.

O parecer foi escrito por ginecologistas-obstetras e cientistas dos EUA, Reino Unido e sociedades canadenses de profissionais de saúde reprodutiva, além da Organização Mundial de Saúde e da Universidade da Califórnia, nos EUA.

A FIGO representa obstetras de 125 países e emitiu a opinião no International Journal of Gynecology and Obstetrics, em 1º de outubro de 2015, pouco antes de um congresso, em Vancouver, no Canadá, onde mais de 7.000 médicos e cientistas vão explorar as tendências mundiais que envolvem a saúde da mulher. “Nós estamos afogando nosso mundo em produtos químicos não testados e inseguros, e o preço que estamos pagando, em termos de nossa saúde reprodutiva, é de grande preocupação“, disse Gian Carlo Di Renzo, MD, PhD, secretário honorário da FIGO e principal autor da opinião. De acordo com Di Renzo, os profissionais de saúde reprodutiva “testemunham em primeira mão o número crescente de problemas de saúde que seus pacientes enfrentam, e evitar a exposição a produtos químicos tóxicos pode reduzir esta carga sobre mulheres, crianças e famílias em todo o mundo”.

Crescimento fetal restrito, malformações congênitas, neurodesenvolvimento prejudicado ou reduzido, e um aumento de câncer, déficits de atenção, comportamentos de TDAH e hiperatividade, estão entre a lista dos péssimos resultados de saúde ligados a produtos químicos, como pesticidas, poluentes do ar, plásticos, solventes e semelhantes, de acordo com a opinião da FIGO.

A FIGO está dizendo que os médicos precisam fazer mais do que simplesmente aconselhar os doentes sobre os riscos para a saúde da exposição química”, disse Jeanne A. Conry, MD, PhD, coautora do parecer e ex-presidente do Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, que emitiu um comunicado sobre produtos químicos e saúde reprodutiva em 2013. “Precisamos defender políticas que protejam os nossos pacientes e comunidades contra os perigos da exposição involuntária aos produtos químicos tóxicos”, acrescentou.

A fabricação de produtos químicos deve crescer mais rápido nos países em desenvolvimento nos próximos cinco anos, segundo a FIGO. Apenas nos EUA, mais de 13 mil quilos de produtos químicos por pessoa são fabricados ou importados, e, ainda assim, a grande maioria dessas substâncias químicas não foram testadas. Os produtos viajam o mundo através de acordos comerciais internacionais, tais como o comércio transatlântico e a Sociedade de Investimento entre a União Europeia e os Estados Unidos. Os grupos ambientais e de saúde têm criticado a proposta de acordo para enfraquecer os controles e regulamentos destinados a proteger as comunidades de produtos químicos tóxicos.

Segundo a Federação, o problema também é social. “A exposição a produtos químicos no ar, alimentos e água, afetam desproporcionalmente as pessoas pobres”, disse Linda Giudice, coautora do artigo da FIGO, ex-presidente da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM) e presidente do departamento de obstetrícia, ginecologia e ciências reprodutivas da Universidade da Califórnia. “Nos países em desenvolvimento, as infecções respiratórias inferiores possuem probabilidade dobrada de serem causadas por exposição a produtos químicos do que nos países desenvolvidos”, acrescentou.

A exposição a produtos químicos tóxicos ambientais está ligada a milhões de mortes e custa bilhões de dólares, anualmente, de acordo com a opinião da FIGO, que cita os seguintes exemplos:

– Quase 4 milhões de pessoas morrem a cada ano por causa da exposição à poluição do ar interior e exterior;

– O custo do envenenamento por pesticidas dos trabalhadores rurais na África Subsaariana podem superar os 66 bilhões de dólares entre 2005 e 2020;

– Cuidados de saúde e outros custos decorrentes da exposição a desreguladores endócrinos na Europa são estimados em, no mínimo, 157 bilhões de euros por ano;

– O custo das doenças infantis relacionadas a toxinas ambientais e poluentes no ar, alimentos, água, solo ecomunidades, foi calculada em 76 bilhões de dólares, nos EUA, em 2008.

Dado o acúmulo de evidências de impactos adversos à saúde relacionados a substâncias químicas tóxicas, incluindo o potencial para provocar danos inter-geracionais, a FIGO sabiamente propôs uma série de recomendações que os profissionais de saúde podem adotar para reduzir a carga de produtos químicos perigosos em pacientes e comunidades”, disse o presidente da FIGO, Sabaratnam Arulkumaran, que também é ex-presidente da Associação Médica Britânica.

A federação propõe que médicos, enfermeiras, parteiras e outros profissionais da saúde reprodutiva defendam políticas para prevenir a exposição a produtos químicos tóxicos ambientais, trabalhem para assegurar um sistema alimentar saudável para todos, façam parte da saúde ambiental dos cuidados de saúde e colaborem para a justiça ambiental.

fontes: r7.com e BBC Brasil

Urandir – Exposição a produtos químicos ameaça reprodução humana
artigo original postado em Exposição a produtos químicos ameaça reprodução humana


Urandir – Pesquisadores da Associação Projeto Portal desvendam mistérios de antigos reinos na América Latina

Foram mais de dez anos de pesquisas em diferentes sítios arqueológicos ao longo dos mais de sete mil km percorridos em território brasileiro e em países da América do Sul, dos quais 3.277 km da região dos sete Povos das Missões no Rio Grande do Sul até o Forte Príncipe da Beira, em Rondônia e deste local mais 3.729 km até o Forte Macapá no delta do rio Amazonas, além de localidades na Bolívia e Peru, Uruguai, Paraguai, França, Alemanha e Espanha idealizadas e lideradas através do presidente da Associação Projeto Portal, Urandir Fernandes de Oliveira, reunindo cerca de cem pesquisadores do Projeto Portal em as suas várias fases.

A grande descoberta diz respeito à presença de diversos reinos em regiões distantes, embora com muita semelhança detalhes em desenhos em predras encontradas em São Miguel das Missõesentre si em termos de arquitetura, cultura e conhecimento existentes em épocas anteriores a 30 mil anos. Esses reinos têm em comum construções incríveis que pelas pesquisas efetuadas não poderiam ter sido construídos pelo homem na época, já que até mesmo nos dias atuais não há tecnologia que permita edificações semelhantes.

Um dos grandes destaques desses reinos localiza-se no Brasil, com a descoberta de uma cidade perdida  em plena selva amazônica, além de identificar semelhanças entre os vários sítios percorridos nas diversos regiões do pais do Sul ao Norte, quando foram encontradas  marcas e símbolos idênticos nestes  locais.

conforme Urandir, a descoberta tem a relevância superior aos grandes monumentos históricos como as pirâmides no Egito, a civilização chinesa, as ruínas da civilização maia no México e dos incas no Peru e Bolívia, incluindo-se  Machu Pichu. O grupo prepara um relatório para ser compartilhado com o IPHAN – Instituto Histórico do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional que certamente irá agregar mais saber para a nossa pesquisa, uma vez que a mesma é somente observacional e interpretativa. Os pesquisadores do Projeto Portal estão cientes que não se pode fazer escavações, apossar-se de objetos ou interferir de qualquer maneira no meio pesquisado e tudo foi feito segundo as legislações nacional e locais.

A cidade perdida na Amazônia tem prédios, estradas, templos, entre outros monumentos  que comprovam a passagem através do Brasil de culturas desconhecidas, porém com grande saber arquitetônico, matemático, astronômico, superior aqueles construtores de culturas pré-colombianas, egípcias, maias,incas e outras. conforme os estudos, a cidade deveria possuir cerca de 13 mil moradores.Detalhes exteriores do Forte Principe da Beira em Costa Marques - divisa da bolívia pesquisa realizada com o apoio do exército brasileiro indica que originalmente não era um forte mas sim um templo

Urandir esclarece que em todo o trajeto investigado  em diferentes regiões brasileiras e em países da América do Sul há símbolos idênticos deixado por essas culturas que nos remete a velhas culturas como a lemuriana,  atlantida e outras. Tudo indica, segundo Urandir, que  essas pessoas há mais de 30 mil anos deixaram um legado em terras brasileiras como que sinalizando sua passagem por esses locais, provavelmente com o objetivo de serem identificadas e localizadas no futuro.

Pesquisas

Tudo começou em 15 de março de 2004 com a primeira Expedição Brasil-Equipe Zigurats a Amazônia visando estudar provas  no sentido de que o Brasil é o berço da formação antropológica e arqueológica mundial e encontrar a verdadeira origem do homem, apresentando novas datas e períodos, preenchendo as lacunas nas teorias já existentes.

A segunda expedição à localidade amazônica aconteceu a partir de 4 de julho de 2005, quando foram observados diversos objetos, pinturas e inscrições rupestres, artefatos e símbolos desconhecidos dos já estudados pela literatura mundial, além de ruínas deixadas para trás que, segundo a engenharia e arquitetura, expõe que tal cultura tinha uma tecnologia bastante superior a atual mesmo há mais de 30 mil anos.

7  Povos das Missões

A grande prova obtida através do Projeto Portal sobre a passagem das mesmas civilizações através do território brasileiro ocorreu no período de expedição ao Rio Grande do Sul, em 2007,  Ruínas em São Miguel das Missões escondem evidências de antigas civilizações globais com reinos unificadosna localidade das ruínas jesuíticas de São Miguel das Missões, consideradas patrimônio da raça humana desde 1983, em conjunto com as ruínas no lado argentino de San Ignacio Miní, Santa Ana, Nossa Senhora de Loreto e Santa María Mayor.

Foi na pesquisa feita no município gaúcho de Santo Ângelo, distante 462 km de Porto Alegre, que Urandir e os pesquisadores do Projeto Portal localizaram as provas que unem as edificações amazônicas com as ruínas gaúchas dos sete Povos das Missões.  À semelhança do que ocorreu em diferentes pontos do legado inca no Peru e Bolívia e também na Europa, onde a Igreja Católica aproveitou antigas edificações deixadas por diferentes civilizações edificando sobre elas as suas Igrejas e prédios, também no sítio arqueológico dos 7 Povos das Missões registrou-se a mesma situação.

Apesar disso, foram localizados símbolos que também são encontrados em diversos outros sítios arqueológicos brasileiros pesquisados em  Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Amazonas, Pará até o delta do rio Amazonas.
Descobriu-se  ali que existem túneis atravessando vários pontos onde a prefeitura de Santo Ângelo, à pedido do clero, lacrou a entrada destes túneis, colocando uma laje em cima, além de terra e blocos, segundo os historiados  e os guias turísticos locais. Foram encontradas 5 tumbas de pessoas de sociedades bastante antigas, muito anterior à vinda dos espanhóis e portugueses no Brasil.

As pedras lá encontradas, trabalhadas por esta civilização, são rochas maciças que até hoje precisaríamos de aparelhos específicos para modelá-las.  Fica a pergunta: como os jesuítas poderiam ter ensinado isso aos índios, se até hoje não temos aparelhos capazes de cortar e modelar as rochas da forma como estão.  Essas rochas podem ser comparadas aos Maias e Incas, pois se trata da mesma engenharia.  Como exemplo, temos a Cruz de Caravaca, mais reconhecida na localidade como a Cruz Missioneira, e as colunas que foram construídas em pedra maciça.

Forte Príncipe da Beira

Todas essas construções são semelhantes, principalmente em sua arquitetura. O Forte Príncipe da Beira, em Rondônia é um exemplo. Ali foram encontradas diversas das inscrições e símbolos situados nas ruínas de São Miguel das Missões. O mais assombroso, contudo, é a similaridade com o Forte Macapá, no delta do Rio Amazonas e com diferentes fortalezas espalhadas através do planeta, até mesmo na região cátara do Languedoc, na França.Pesquisa no Forte Principe da Beira em Costa Marques - divisa da bolívia com o apoio do exército brasileiro indica que originalmente não era um forte mas sim um templo

De todas as fortificações encontradas no Brasil e em outros países, segundo a história, foram erguidos por português, espanhóis e outros… O Forte Príncipe da Beira é considerado o de localização e edificação perfeitos, ainda que hoje restem apenas ruínas. Ele protegia toda a margem direita dos rios Guaporé e Mamoré, na fronteira com a Bolívia. Foi deixado para trás em 1889, já na República, e permaneceu em absoluto abandono cerca de 40 anos, sendo saqueado e invadido. Em 1914 foi reencontrado através do então Marechal Rondon, que voltou em 1930 e construiu as instalações da unidade militar que acantonou ao lado das ruínas.

No Forte Príncipe da Beira os pesquisadores do Projeto Portal, com autorização do Exército brasileiro, descobriram salas subterrâneas que continham vários poços com profundidades variadas. Em determinadas profundidades saíam túneis em diversas direções, como por exemplo, a Serra dos Reis (RO), cidade de Costa Marques (RO) e o mais intrigante, a uma profundidade maior, um túnel que passa por baixo do rio Madeira atravessando a divisa Brasil-Bolívia, saindo a aproximadamente  700 metros da margem no lado  boliviano perto a outras ruínas que são encontrados lá. (vai ser que os portugueses teriam tecnologia para tal?)

Segundo as novas descobertas da equipe  do Projeto Portal constatou-se que nem portugueses nem holandeses nem nenhuma pessoa da civilização contemporânea tinham construído tais fortalezas:

Primeiro porque não tinham tecnologia para isso,  Segundo: não era encontrado mão de obra suficiente e a relação dos colonizadores com os indígenas nem sempre eram amistosas. Terceiro: não tiveram tempo hábil desde a descoberta do Brasil até hoje para construções tão perfeitas e distantes entre si.  Quarto: as doenças tropicais dizimavam rapidamente os soldados e aventureiros que se embrenhavam na mata.  Quinto: os alimentos durante as expedições se esgotavam e muitos morriam de fome.  Sexto: o meio de transporte era apenas barco rudimentar ou cavalos, o que não atenderia as necessidades de construções desse porte.  Sétimo: as comunicações eram precárias e não seria possível o compartilhamento de ideias e projetos em construções semelhantes em pontos distantes do Brasil e do mundo. Todas sendo construídas na mesma época, segundo a investigação do Projeto Portal. Mais um dado intrigante: todas elas foram construídas com a mesmo tipo de pedra, não importando e distância e o local das mesmas.

Foi no Forte Príncipe da Beira que a equipe descobriu indicações precisas que apontavam para uma região no coração da Amazônia. prosseguindo tais indicações, dois anos depois, os pesquisadores se depararam com o sonho de todo arqueólogo:  a região perdida enfim encontrada. ..

Seria o tão cobiçado  Eldorado por todos os aventureiros do planeta?  Seria uma cidade bíblica que sobreviveu ao dilúvio?  Ou serão apenas ruínas de culturas antigas que ali estiveram antes do surgimento da floresta amazônica?  Continuamos a Buscar conhecimento!

#gallery-1
margin: auto;

#gallery-1 .gallery-item
float: left;
margin-top: 10px;
text-align: center;
width: 33%;

#gallery-1 img
border: 2px solid #cfcfcf;

#gallery-1 .gallery-caption
margin-left: 0;

Urandir – Pesquisadores da Associação Projeto Portal desvendam mistérios de antigos reinos na América Latina
artigo original postado em Pesquisadores da Associação Projeto Portal desvendam mistérios de antigos reinos na América Latina


Urandir – Por dentro do Vaticano – Expedição Zigurats Brasil Itália-França

Teve cenário na Itália, especialmente em Roma uma expedição do Projeto Portal, liderada por Urandir Fernandes d  Oliveira. Com o objetivo de traçar paralelos entre simbologias de diversas culturas com as representadas pela Igreja Católica, a equipe esteve em diversos museus em Roma e, em especial, no Vaticano coração do catolicismo.

Foram encontrados símbolos representativos de diferentes crenças, muitos até pagãos dentro das basílicas e templos católicos. Foi um trabalho árduo de pesquisa onde a equipe percorreu além do Vaticano, as ruínas do Coliseu, Foro Romano entre outros lugares históricos, mapeando e desvendando alguns dos mistérios da região.

Urandir – Por dentro do Vaticano – Expedição Zigurats Brasil Itália-França
artigo original postado em Por dentro do Vaticano – Expedição Zigurats Brasil Itália-França


Urandir – Já está nas bancas!! Baixe já o Jornal do Bilu nº 1

Para ajudar os humanos na busca do conhecimento, Bilu solicitou que fosse lançado um Jornal com as informações por ele passadas. Segue o link para baixar o jornal no formato PDF . Baixe já pois é grátis ! E não esqueça de participar da Promoção do BILU : preencha o cupom e ganhe um presente de outro mundo !!! Busque o seu conhecimento !!

 

Baixe já é grátis!!!!!!!

Urandir – Já está nas bancas!! Baixe já o Jornal do Bilu nº 1
artigo original postado em Já está nas bancas!! Baixe já o Jornal do Bilu nº 1


Urandir – Urandir Fernandes de Oliveira e Parceria do Projeto Portal com Exercito Brasileiro

Durante a segunda expedição à Amazônia o Projeto Portal recebeu apoio do Exército Brasileiro. Firmou-se então uma parceria nas pesquisas realizadas na floresta Amazônica. Na selva foram encontradas evidências de remotas civilizações e  antigíssimas marcas circulares atribuidas a pouso de objetos voadores na antiguidade. Urandir Fernandes de Oliveira participou comandando a equipe Zigurats do Projeto Portal.

Urandir – Urandir Fernandes de Oliveira e Parceria do Projeto Portal com Exercito Brasileiro
artigo original postado em Urandir Fernandes de Oliveira e Parceria do Projeto Portal com Exercito Brasileiro


Urandir – Baixa atividade solar intriga pesquisadores – Urandir News

O sol está em baixa atividade, um fenômeno estranho que intriga os cientistas, que admitem não entenderem o porquê.
O diretor de física espacial do Laboratório Rutherford Appleton, em Oxfordshire, na Inglaterra, Richard Harrison afirma  que “nos 30 anos em que  trabalha como físico solar  nunca vi nada parecido”. A pesquisadora Lucie Verde, do Laboratório de Ciência Espacial, da University College London tem a mesma impressão: “para mim e para muitos outros cientistas solares, isso nos tomou de surpresa”.
 Sol em baixa atividade intriga pesquisadores-arquivo2014-urandir
Mas o que será que está acontecendo? Será que o Sol está numa época de “cochilo”? De acordo com os pesquisadores, parece que ele realmente está dormindo, ou tirando uma soneca inesperada. O certo é que seu período atual de tranquilidade desafia qualquer cálculo. Faz 100 anos que nossa estrela não se mostra tão calma, o que é surpreendente, pois esperava-se que estivesse em uma intensa atividade, já que, teoricamente, atravessa o auge do seu ciclo de onze anos. Os pesquisadores esperavam flagrar labaredas gigantes e grandes erupções de massa coronal, porém nada disso está acontecendo. O nível de atividade do Sol continua a cair em alta velocidade, uma tranquilidade que provoca uma inquietação inversamente proporcional nos especialistas.
Alguns dizem que o Sol pode estar entrando em um período conhecido como o Mínimo de Maunder, um evento ocorrido no século XVII. No entanto, nem mesmo naquela época, a atividade solar havia caído tão rápido como agora: uma análise do núcleo de gelo mostra que esse comportamento não ocorre faz 10 mil anos. Quando aconteceu, o Mínimo de Maunder foi acompanhado de invernos muito mais frios do que o normal e, por conta disso, o período ficou conhecido como “pequena era do gelo”. De qualquer maneira, essa calmaria do nosso astro preocupa os cientistas, que tentam descobrir os motivos de tamanha tranquilidade do Sol e o que isso nos trará como consequência.

publicação original: http://noticias.seuhistory.com/sol-apresenta-atividade-nunca-vista-antes-e-intriga-cientistas-de-todo-mundo

Urandir – Baixa atividade solar intriga pesquisadores – Urandir News
artigo original postado em Baixa atividade solar intriga pesquisadores – Urandir News


Urandir – Entrevista de Urandir Oliveira para o Ufotvonline sobre os acontecimentos de 2012 – parte 2

Fim dos Tempos ? 2012 é o fim do mundo ??? veja a segunda parte da entrevista de Urandir Oliveira para UfotvOnline sobre os acontecimentos do ano de 2012.

Repórter UfotvOnline – Essa data de 21 de dezembro está muito próxima das festas de final de ano. Se acontecer esses fatos, certamente as comunicações deverão ser afetadas. O que você recomenda para as pessoas que costumam viajar nesse período.

Urandir Oliveira – Digamos assim, trabalhando com a possibilidade de realmente acontecer uma forte emanação de energia do centro da galáxia em relação a todos os corpos próximos ao Sistema Solar e a Terra, com certeza teremos diversos problemas na comunicação, os sistemas, os satélites tudo deverá entrar em pane. E o melhor conselho seria para que as pessoas evitem viajar de avião nesse período. Por exemplo, eu não vou viajar e nem viajaria de avião nos dias 20, 21 e 22 de dezembro, independente se irá acontecer ou não. São três dias muito falados e realmente coincidem matematicamente com os vários ciclos e períodos que a Terra já passou e se encontrou em uma posição desfavorável em relação às anomalias do universo. Então não vamos abusar da sorte. Acreditando ou não, acontecendo ou não, eu vou me precaver ou viajar de carro ou vá antes para o local que pretende ir, de preferência acima de 300 metros do nível do mar, justamente para não correr nenhum risco. Como já houve hecatombes no passado, em eras muito semelhantes, ciclos e períodos culminando com fases como essa, não devemos arriscar. E outra coisa. Tudo aquilo que os maias deixaram como herança em escritas realmente ocorreram. Eles foram precisos tanto quanto as medidas da Nasa. Então não vamos abusar da sorte, não custa nada fazer uma prevenção antecipada dos fatos, desses fenômenos, caso realmente tudo isso aconteça.

Repórter UfotvOnline – Esses fatos não deverão ocorrer da noite para o dia, em um dia só. Como será isso? Teremos alguns anos pela frente?

Urandir Oliveira – De acordo com os estudos do Centro Tecnológico Zigurats – CTZ, há um ponto, um marco mais forte. Quer dizer, já estão ocorrendo várias coisas na natureza que já fogem do controle e da compreensão humana, mas digamos que a partir da hora marcada para o alinhamento, isso deve se intensificar ao longo dos dias, dos meses, dos anos e deve durar até 2016 e 2017, sendo que a previsão máxima é até 2018.  Se repetir o que ocorreu em outras eras, nós teremos mais ou menos três ou quatro anos de anomalias incontroláveis com a fúria da natureza, os acontecimentos fortes com o bombardeamento da Terra com partículas. A América do Sul, principalmente o Brasil, estaria em posição mais favorável, mas  mesmo assim não deixaria de sofrer as consequências da  natureza e especialmente as produzidas pelo  homem, as consequências vindo de alguns países. Realmente, pode acontecer durante uns três ou quarto anos, intensificação da atividade de vulcões, maremotos, mas também algumas anomalias no céu, na terra, no clima, no que diz respeito a gelo. Acredito que isso acontecendo repetindo o que já houve no passado, teremos um trabalho muito intenso até 2018 para reconstrução de tudo e da ordem e creio que só vai ficar totalmente estabilizado em 2028. Então não precisa ser hecatombe de grande proporção, basta ocorrer em diversos pontos da Terra, quase que simultaneamente e será o bastante para provocar prejuízo e dificuldades muito grandes no que diz respeito à sobrevivência humana e no reestabelecimento da ordem.

Repórter UfotvOnline – É por isso que você, seus parceiros de outros mundos e mais de 3.500 pesquisadores do Projeto Portal estão construindo uma cidade em pleno cerrado sul-mato-grossense?

Urandir Oliveira – Esse não é o principal motivo, é um deles. Sabendo que existe a possibilidade disso acontecer, nós tomamos como medida de prevenção fazer uma cidade que tenha casas elaboradas com sua arquitetura totalmente diferente do tradicional, resistente a ventos de até 500 km horários. Também prevendo alguns terremotos, as casas foram construídas com suas fundações diferenciadas das demais, com poços e galerias em locais estratégicos justamente para neutralizar possíveis vibrações sísmicas. Então dentro das galerias foram construídos silos e lá nós guardamos muitos alimentos como arroz, feijão, farinha, óleo, toda a alimentação básica, alguns medicamentos, e a água que foi uma das nossas maiores preocupações, seguida depois dos alimentos e outros meios de sobrevivência. Nós já estamos prontos para essa possibilidade e enfrentar esse tipo de situação. Mas esse não foi o ponto principal. Nós não acreditamos que o mundo irá acabar, mas sim que passará por algumas transformações. Se isso acontecer ou não, a cidade vai continuar porque nós temos um estudo voltado à arquitetura e a simetria da matemática universal que influencia nossos corpos, nossas mentes e a nossa parte intelectual e habilidades extrassensoriais. Então por isso que a cidade está sendo construída, não só prevendo as hecatombes, mas prevendo uma evolução em nível mental do ser humano e para deixar um legado para o futuro, porque lá nós teremos a Escola dos Mistérios, hospitais com meios alternativos, com escolas que darão uma visão mais aberta para as pessoas que ali estudarem. Temos também já em funcionamento o Centro Tecnológico Zigurats – CTZ com um observatório astronômico com tecnologia diferente do que existe na Terra, orientado por nossos parceiros das estrelas e conseguimos registrar fenômenos incríveis. Também desenvolvemos o projeto de várias pirâmides e uma delas já em construção que estará sincronizada com a nova posição magnética da Terra, com as novas medidas, e também com a influência da nova estrela polar que surgirá após o alinhamento para os próximos 5.125 anos e por isso a cidade está sendo construída. Além do que nós já temos o nosso próprio sistema econômico, como também nossa autonomia em termos de produção de alimentos, de tecnologia e máquinas mecânicas ou não, geradores autossustentáveis que produzem energia sem a necessidade de combustíveis fósseis ou de qualquer outro elemento da natureza que afete a poluição e  tudo baseado em campo magnético. Então nós teremos condições de deixar uma cidade totalmente diferente para  o futuro, para as novas gerações. Nos próximos 10 mil anos ela será exemplo para as pessoas que quiserem uma evolução mental, espiritual, que queiram ter a compreensão do todo de uma forma riquíssima em detalhes, com informações, com técnicas que irão ajudar a humanidade e as futuras gerações a não necessitarem de medicamentos como hoje ocorre, a ter uma alimentação saudável e uma condição de vida mais digna e mais saudável do que temos hoje, porque lá tudo está sendo programado e elaborado através de conhecimentos visando tudo o que a natureza nos proporciona, com um aproveitamento muito maior. E com isso haverá um prolongamento de vida jamais imaginado pelo homem e pela ciência tradicional.

Repórter UfotvOnline – Ocorrendo as possíveis hecatombes, certamente terá problemas na área política e social. Como ficará essa questão?

Urandir Oliveira – Na área econômica nós estamos muito bem, temos nosso próprio modelo econômico já circulando entre os participantes ativos da Associação Projeto Portal hoje e todas as pessoas são beneficiadas e a intenção é realmente um nivelamento financeiro entre todos, porque todos se auxiliam. Nós produzimos boa parte dos alimentos que consumimos, temos a nossa própria água, temos o nosso próprio gerador de energia que em breve será uma novidade para a população. Então a intenção nossa é depender muito pouco do sistema. Se houverem essas mudanças, economica e socialmente nós estaremos preparados para qualquer modificação radical. E em relação à política  e economia tradicional que praticamente já desabou com essas especulações e articulações políticas mundiais…Acreditamos que as lideranças mundiais não estão nem aí para a população…O condicionamento negativo que influencia a grande massa através dos diversos meios de comunicação está prejudicando muito o conhecimento e a sobrevivência na Terra. Claro que não interessa aos governos que nasçam mais pessoas no mundo, que as pessoas consigam pensar por si próprias, que tenham clareza mental e conhecimento muito acima da média tradicional porque é uma ameaça… Eles iriam perder o controle sobre a população. Nós estamos ajudando a essas pessoas que não têm o mínimo de informação, que não tem o menor poder de decisão, porque se acontecer alguma coisa, elas não sabem o que fazer, para onde ir, que atitude tomar, simplesmente esperaria a morte. Então nós já pensamos em tudo isso.  Todas as pessoas que participam do Projeto Portal têm essa consciência de que será necessário o nivelamento social, porque isso acabará com a pobreza e com os roubos… Nós temos um pensamento voltado a um nível consciencial diferenciado que foge dos padrões exigidos pela sociedade e linhas religiosas. Nossa conduta não sofre a influência do sistema tradicional. Enquanto as pessoas estiverem presas ao mecanismo atual, não conseguirão evoluir, não irão adquirir conhecimento, não conseguirão o prolongamento de vida,  porque estão submetidas a diversos fatores que implicam na sua saúde mental e física e principalmente na facilidade de pensar e agir.

Repórter UfotvOnline – Urandir, nós vimos o que vocês estão fazendo no Mato Grosso do Sul com uma proposta para a sociedade. Mas vimos também que os governos e a própria Nasa também estão estocando alimentos e água. No ano passado, a Nasa divulgou um vídeo dirigido a seus funcionários sobre como proceder em casos de hecatombes, mas a grande mídia não divulga nada sobre isso. O que você diz sobre isso?

Urandir Oliveira – Primeiro: não há interesse dos governos. Segundo: eles não têm onde colocar tanta gente. Se acontecer uma hecatombe, onde é que eles vão colocar essas pessoas? Então é melhor que morram. E aqueles que sobreviverem, eles vão colocar em escolas, em locais públicos para daqui a dois ou três anos conseguirem um abrigo para que continuem sua sobrevivência na Terra. Então são os dois motivos principais. E o terceiro, dentro da nossa visão, é que quanto mais pobre e mais miserável, melhor para as lideranças mundiais. Infelizmente é essa a percepção que temos de tudo. Mas vemos o outro lado da política também, observamos que algumas lideranças honestas fazem algo em benefício da população, porque também pensam nelas no futuro. Mas de cada 100 lideranças você tira uma cabeça pensante que não tem força diante do sistema, dos lobos que ali estão no sentido de fazer alguma coisa em benefício da população. Então raramente acontece algo positivo. É o mesmo com as lideranças religiosas. As Igrejas possuem mais bens e muito mais terras do que o próprio governo e, no entanto, eles não fazem desapropriação de suas terras, não fazem caridade, não dão benefícios para a população. Eles apenas enriquecem seus cofres como fazem as lideranças mundiais. Eles não estão nem aí para a população, porque se eles quisessem não haveria mais fome no mundo, não haveria miséria, todas as pessoas teriam sua casa, seu carro, seu dinheiro guardado para comprar alimentos e suprir necessidades para aproveitar a sua vida com dignidade. No entanto, não interessa aos governos pessoas livres do condicionamento liderado e imposto por eles. Não teria mais fome nesses países da África, da Ásia, inclusive no interior do Brasil, é uma vergonha o que nós vemos por aí. Quando visitamos o Norte e o Nordeste brasileiro é como se estivéssemos visitando um país da África: Nigéria, Etiopia, Sudão… Então o Brasil tem essa cara bonita lá fora, mas o seu interior é completamente esquecido. Realmente os participantes do Projeto Portal têm a consciência da igualdade social, onde todas as pessoas tem o direito de comer, de se divertir, de ter uma vida digna e não ficar nessa miséria e achar que ainda deve favor aos governos e às Igrejas. As religiões tem seu lado bom de tirar as pessoas da bebida, da droga, do roubo, do assalto e tudo mais. E também os governos fazem a sua campanha, mas isso é um grão de areia na imensidão… Eles fazem isso, mas não beneficia nem um por cento da população brasileira, mas poderiam realizá-lo de tal maneira que em seis meses deixariam todas as pessoas muito bem em termos de condições financeiras, de saúde e tudo mais. Mas é uma vergonha. As lideranças mundiais não têm mesmo interesse em ajudar a população, pois eles já têm seu futuro garantido e locais seguros para seus familiares. Porque essas essa movimentação entre alguns países criando inclusive um banco de sementes em pleno gelo norueguês?  Porque eles sabem que algo está para  acontecer. Até no Brasil  estão armazenando alimentos através da Conab nos  principais aeroportos brasileiros e em outros setores estratégicos também. Por quê? Porque eles estão prevendo realmente hecatombes, mudanças radicais que vão acontecer.

Repórter UfotvOnline – Você falou em possibilidades das hecatombes. Haverá alguma data antes de dezembro para ternos uma confirmação de tudo isso?

Urandir Oliveira – Sim, no dia três de novembro, quando terei cem por cento das informações sobre os acontecimentos, conforme a orientação de nossos parceiros das estrelas.

Repórter UfotvOnline – Qual o alerta ou mensagem que vocë passaria para a humanidade?

Urandir Oliveira – O sistema programou para nós o seguinte:  nascer, crescer, aproveitar os prazeres da vida, baladas, bebidas, drogas, festas, status social, constituir uma família, procriar, trabalhar até a aposentadoria, adoecer, uma cadeira de rodas e enfim a sepultura.Esta é a única certeza que a população tem.

É isso que você quer para si? Viemos aqui para isso? Liberte-se do sistema, caminhe com suas próprias pernas.

Urandir – Entrevista de Urandir Oliveira para o Ufotvonline sobre os acontecimentos de 2012 – parte 2
artigo original postado em Entrevista de Urandir Oliveira para o Ufotvonline sobre os acontecimentos de 2012 – parte 2


Urandir – Diário de Bordo dia 2: Urandir na segunda Expedição França da Equipe Zigurats

No segundo dia da 2ª Expedição da Equipe Zigurats França, Urandir Oliveira junto com o grupo de pesquisadores  partiram de manhã cedo com destino o Chateau Baux de Provence, que fica a 70km de Aix en Provence, lugar onde o  grupo está hospedado.

O Castelo des Baux de Provence foi construído no século 10, na era medievel. Foi planejado  como uma grande fortaleza que servia para proteger o pequeno vilarejo de Provence. Por quinhentos anos foi  governado pelos Senhores de Baux, em meio a insistentes conflitos que culminram com a devastação do vilarejo de  Provence. De arquitetura rústica e simples, foi construído em uma montanha rochosa e seu castelo esculpido nas  rochas de calcáreo, fáceis de lapidar e cortar.

Durante o século 15, os barões da Masons des Comtes de Provence substituiram os senhores de Baux, sendo essa  considerada uma era do ouro para o Castelo, antes controlado pelos reis Franceses.

Durante o século XVI, tiveram início muitos conflitos e guerras religiosas, o que levou em 1633 à  destruição da  fortaleza por ordem de Luís XIII.

No Castelo dos Baux se encontram cópias em escala real de grandes máquinas bélicas da época. Nas ruínas do Castelo  se encontra uma grande catapulta e os visitantes podem presenciar uma demonstração real de disparo e de seu uso,  que pode arremessar projéteis pesando até 100 quilos e por até 180 metros de distância.

Urandir e a equipe de pesquisadores retornaram para Aix en Provence no final da tarde, e o grupo assistiu uma  palestra muito especial com Roberto Howells, reconhecido escritor e pesquisador, autor do livro Por  dentro do  Priorado  de Sião.

Howells é especialista em mistérios e assuntos que circundam  a história de Jesus Cristo e de  Maria Madalena, e o suposto matrimônio de ambos, incluindo a possibilidade de terem gerado descendentes.
Howells pesquisou com bastante afinco a localidade de Rennes le Chateau ao sul da França, localidade que se  acreditam serem encontradas evidências da passagem dessas figuras lendárias e sua linhagem.

Galeria das fotos de Urandir no segundo dia da expedição Zigurats França

#gallery-1
margin: auto;

#gallery-1 .gallery-item
float: left;
margin-top: 10px;
text-align: center;
width: 25%;

#gallery-1 img
border: 2px solid #cfcfcf;

#gallery-1 .gallery-caption
margin-left: 0;

Urandir – Diário de Bordo dia 2: Urandir na segunda Expedição França da Equipe Zigurats
artigo original postado em Diário de Bordo dia 2: Urandir na segunda Expedição França da Equipe Zigurats


Urandir – Urandir inicia segunda Expedição França da Equipe Zigurats dia 1

Teve início no dia 29/4/2012 a 2ª Expedição Zigurats do Projeto Portal à França

 

A equipe de pesquisadores liderada por Urandir Oliveira e Alan Oliveira desembarcou em Marseille, seguindo para Aix En Provence, cidade distante por 30 Km de Marseille, onde se iniciou as  atividades de pesquisa do grupo.

 

O grupo, incluindo Urandir Oliveira chegou à cidade bastante confiante no resultado positivo da Expedição. Urandir veio direto da Espanha, onde se encontrava desde o início do mês em diversas atividades do Projeto Portal, entre elas,  a fundação do  Núcleo Espanhol do Projeto Portal,  nas cidades de Ucero e Aspe.

Urandir e Alan Oliveira elaboraram um roteiro especial voltado para  pesquisas sobre a presença de Maria Madalena pela França.  Urandir  e equipe  estarão em diversas localidades da França para comprovar a veracidade dessas informações.

Urandir – Urandir inicia segunda Expedição França da Equipe Zigurats dia 1
artigo original postado em Urandir inicia segunda Expedição França da Equipe Zigurats dia 1


Urandir – Bilu Recomenda e Urandir sugere: Caldeia de Zenaide Ragozin

Em uma conversa  recente com algumas pessoas, o ET Bilu recomendou e sugeriu a  leitura do Livro “Caldéia” de Zenaide A. Ragozin,  para  todos aqueles que buscam aumentar seus conhecimentos a respeito de civilizações antigas. Mesmo sendo  um livro de conhecimento interessantíssimo, ele não participa da lista dos best sellers, sendo  todas cópias em idioma inglês, muito raras de serem encontradas.
O Blog do Bilu disponibilizou para download o livro em formato PDF e na versão traduzida para português. Aproveite essa oportunidade de adquirir mais conhecimento
fica a dica do Et Bilu
faça download do seu exemplar no link abaixo:
Bilu recomenda boa leitura a todos

Urandir – Bilu Recomenda e Urandir sugere: Caldeia de Zenaide Ragozin
artigo original postado em Bilu Recomenda e Urandir sugere: Caldeia de Zenaide Ragozin